Celíaco Assintomático – será que isso existe?

A primeira vez que ouvi falar em celíaco assintomático eu fiquei pensando: será que isso existe? Afinal, o Fabrício sempre passou tão mal que parecia algo impossível. Mas existe!

Os pacientes com doença celíaca silenciosa caracterizam-se por apresentar mucosa com atrofia  das vilosidades intestinais, porém, sem apresentar qualquer sintoma quando da ingestão do glúten. Embora, externamente aparente estar bem, o sistema imune é ativado e a doença tende a evoluir se não descoberta ou controlada.

adult-1807617_1280

O diagnóstico de celiacos assintomáticos é ainda mais difícil e, normalmente de surpresa – um familiar que foi diagnosticado e ao fazer o rastreamento descobre-se, exames para algum tipo de cirurgia, em especial bariátrica, que apresentam alterações, algum tipo de anemia persistente.

No caso de celiacos silenciosos é preciso redobrar os cuidados, pois nunca sabe se houve contaminação ou não, além disso, exames frequentes ajudam no controle da doença.

Vou dar um exemplo pra facilitar – O Fabricio, ao ter contato com glúten tem estufamento e cólicas intestinais quase que instantaneamente.  Então,  ele consegue visualizar que um determinado alimento faz mal e não consumir mais, isso serve para um restaurante, uma lanchonete, enfim. Porém,  quem é assintomático não tem este conhecimento, precisando estar ainda mais atento.

Há ainda quem diga ser assintomático,  mas na verdade tem sintomas atípicos da doença – enxaqueca,  obesidade, labirintite,  sonolência. Quando retiram o glúten percebem sintomas que estavam ali mas não eram percebidos ou creditados ao glúten.

Vale destacar que celiacos assintomáticos não são “menos” celiacos por não terem sintomas, são celiacos e isso é o bastante para efetivar os cuidados necessários para controle e cuidado com a condição.

É por conta da possibilidade assintomática da doença celíaca que, ao descobrir a doença em um familiar, TODOS devem ser investigados, por ser uma condição genética,  dificilmente há apenas um celiaco na família, muitos podem ser e não manifestar sintomas, mas ter a saúde agravada com o evoluir da doença.

E você? É assintomático?  Conhece alguém que é? Comó foi o diagnóstico?  Dívida aqui com a gente sua experiência.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *