O inimigo oculto!

Em um post anterior, falamos sobre os perigos da contaminação cruzada (link aqui). E para complementar o post e, depois de uma péssima experiência com um queijo, achei que era importante falar sobre o inimigo oculto.

O Fabricio é um detector ambulante de glúten, do tipo que não tolera nem uma migalha. Sempre brinco que, quando ele se contamina, o Dino aparece e a gente já sabe que tinha glúten.

detective-311684_1280

Mas não adianta saber que tinha glúten depois que o estrago estava feito, não é mesmo?

Então,  comecei a pensar em fontes ocultas de glúten que quero dividir com vocês – são produtos ou situações que em um primeiro momento a gente nem imagina que possa se contaminar, mas vale o alerta!

Condimentos e Temperos Industrializados 

Os temperos e condimentos industrializados podem ter glúten na composição. Para evitar este problema, leia sempre os rótulos e consulte os SACS das empresas ao comprar maionese, ketchup, mostarda, shoyu, molhos prontos (salada,  madeira, de tomate, branco, etc) e caldos (de carne, de legumes, de frango, etc), além do creme de cebola.

Queijos Fatiados

Existe um perigo real em comprar queijos fatiados em mercados (aqueles que são fatiados pelo próprio mercado, não os embalados de fabrica). Ao compartilhar o maquinário com outros produtos (presunto, mortadela, queijo colonial, etc), pode ocorrer a contaminação do queijo, isto porque muitos desses produtos podem ter glúten na composição.  Além do fato de a pessoa que fatia poder ter comido um pãozinho antes do trabalho e não ter lavado a mão,  estar com o uniforme sujo de glúten – muito comum que a parte de frios, fique próximo às padarias dos mercados e os trabalhadores se comunicarem. O mesmo vale para queijos fatiados em padarias.

Restaurante Self Service 

Para os celíacos, almoçar em restaurantes que possuem glúten no cardápio já é um grande risco, mas os restaurantes do tipo Self Service – aqueles em que cada um serve o seu prato – o risco é potencializado. Isto porque, além da possibilidade de não haver cuidados na cozinha,  muitas pessoas pegam os pegadores de um prato (que pode ter glúten – massa por exemplo) e utilizar para pegar outro que não teria gluten, por exemplo, a saladinha que você vai comer.

Caso seja realmente necessário e não haja outra opção,  converse com a nutricionista do restaurante e peça que seu prato seja servido diretamente da cozina – isso se ela for segura.

Embutidos

Como regra geral, quando se tratar de embutido industrializado vale a informação do rótulo sobre a presença ou não de glúten.  Porém,  vale lembrar que o contato com o saco é fundamental,  já que muitos embutidos (salsicha, presunto, calabresa) podem ter glúten na composição,  seja diretamente,  seja por contaminação.

Sorvete

Existem muitas marcas no mercado que não possuem glúten na composição de seus sorvetes, bastando observar o rótulo para isso. Porém,  um risco real, são os sorvetes de máquina (do tipo MC Donalds), isso porque, em sua formulação não possuem glúten (você pode conferir na tabela de alergenicos na loja), porém,  o contato das casquinhas com a maquina pode deixar resquícios – experiência própria,  mesmo tomando todo cuidado, o Fabricio já se contaminou assim.

Outro ponto crítico é que, em alguns lugares,  e eu já presenciei isso, ao retirar o sorvete da máquina, ele está mole e os atendentes devolvem para a máquina. Se estava em uma casquinha, tudo ficou contaminado. MUITO CUIDADO!

E, por fim, algumas marcas utilizam-se do trigo ou dos derivados para engrossar a marca, então,  fique sempre atento ao rótulo, consulte o SAC e, na dúvida,  não consuma.

Produtos à granel

Os produtos à granel costumam ter preço bem melhor do que os embalados de fábrica,  mas o perigo de ter glúten escondido é real – mesmo maquinario que separa, pegadores que pegam trigo e depois pegam castanhas, atendente que manipulou trigo e depois as frutas secas e assim por diante.

Para utilizar produtos à granel, apenas quando o espaço não manipula glúten e sabe a procedência dos produtos.

Batatas Fritas

A batata frita, apesar de ser um veneno pra saúde, é ummpetisco encontrado em qualquer lugar, possibilitando ao celíaco uma saidinha comos amigos, mas ate ela pode ser perigosa.

A maioria das batatas fritas são polvilhadas com farinha antes de serem congeladas. Nesse caso, você precisa pedir a nutricionista ou algum atendente do lugar em que você pretende comer, para confirmar a informação – seja no rótulo,  quando for industrializada,  seja com quem costuma manipulá-las.

Além disso, as batatas podem ser fritas em óleos contaminados – restaurantes que fritam batata, frango empanado, pastéis,  tudo no mesmo óleo podem fazer um grande estrago. Verifique a possibilidade de usarem óleo novo em uma panela sem contato com glúten  – pode dar certo.

Além dos alimentos que podem estar contaminados com glúten,  precisamos destacar a onipresença desse “negócio” em muitos outros itens do nosso dia a dia, para isso, vale observar a imagem abaixo, cuidadosamente produzida pela Raquel Benatti e pela Flávia Anastácio,  ainda na época do orkut hehehehe.

gluten-escondido

Referências

Cruscinski, Juliana. http://www.fenacelbra.com.br/fenacelbra/alimentos-proibidos-e-permitidos/

Pimentel, Juliano. https://drjulianopimentel.com.br/gluten/alimentos-que-contem-gluten-atencao/

 

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *