Vamos falar de Colesterol?

Porque resolvi falar de colesterol? Bem simples,  eu nunca tive problema com isso, mas quando descobrimos a DC do Fabrico,  durante 2 exames de rotina, tive o colesterol alterado. Os médicos me disseram: foi a mudança na alimentação. E eu acredito nisso, porque depois que descobrimos como nos alimentar melhor, o colesterol foi embora novamente.

Dicas de Saúde

Mas, o que é o colesterol?

É um álcool de cadeia longa (se puxarmos na memória as aulas de química orgânica,  teremos que a terminação “ol” vem da derivação do álcool), não hidrossolúvel (não se dilui em água ou no sangue) e que compõe  as membranas celulares dos animais (não existe colesterol no reino vegetal).

O nosso corpo tem a capacidade de sintetizar este colesterol por ele produzido. Porém, a ingesta excessiva de colesterol, através da alimentação, pode nos trazer problema.

Como falamos anteriormente, não existe colesterol no reino vegetal, por isso, a maior fonte de colesterol são os alimentos que possuem gordura animal, especialmente carne de boi, porco e frango, mas também ovos.

E como eu, que não consumo carne, já que sou ovo vegetariana, fui ter colesterol? A minha conclusão,  não médica é: o consumo excessivo de ovos. Na fase de descoberta da doença celíaca do Fabricio tivemos esse problema. Como tive que reaprender a cozinhar, várias receitas tinham 7, as vezes 9 ovos e até eu aprender a fazer a minha própria,  era isso que eu usava. Aliei a isso a minha total falta de exercício físico,  antes de casar eu patinava, jogava vôlei e fazia algumas caminhadas.

Mas, não quero falar aqui em como ter colesterol ruim, mas sim em como melhorar o nosso colesterol bom, que é o mais importante.

Cuidados na Dieta

O colesterol exógeno, aquele vindo dos alimentos, esta relacionado à elevação do colesterol no sangue, já que o endógeno tende a ser absorvido pelo próprio organismo. Os maiores vilões para que isto ocorra são grande ingestão das gorduras trans e gorduras saturadas açúcares.

Então, comece reduzindo:

  • carnes gordas – com capa de gordura, vísceras ou pele.

Considerando que o colesterol está presente basicamente no reino animal, as carnes gordas são ricas em gorduras saturadas. Por isso, prefira cortes magros, carnes brancas (especialmente peixe) e sem gordura aparente. Prefira fazer cozido ou em grelha, evite fritar.

  • leites e derivados – especialmente manteiga, creme de leite e queijos amarelos

Os queijos amarelos (mussarela, provo longe, parmesão, etc) possuem alto de gordura saturada e colesterol. Opte sempre que possivel por leites e queijos de origem vegetal, ou queijos brancos como o minas e a ricota.

  • embutidos – como bacon,  presunto, salsicha e linguiça

Além do alto teor de sódio,  os produtos embutidos são ricos em gorduras. Se possível,  retire da sua alimentação.

Aqui, quero fazer apenas um adendo: o criador do universo, em sua palavra, já sabia o que faria mal aos seres humanos, não indicando assim o seu consumo e os alimentos suínos estão entre eles, se quiser ler mais sobre, clique aqui.

  • frituras – salgadinhos em geral, batata frita, etc.

O óleo aquecido ocasiona uma reação química nos alimentos, tornado-os ricos em ácidos graxos saturados.

  • açúcar refinado, biscoitos recheados, chocolates com pouco cacau, sorvete.

Um estudo recente, da universidade de Tufts, indicou que além das gorduras, os açúcares podem estar relacionados ao aumento do colesterol ruim, especialmente os açúcares refinados. Dê preferência para o açúcar mascavo, demerara ou de coco que possuem mais nutrientes.

  • gema de ovo

American Heart Association preconiza o consumo de 1 ovo por dia por adulto, desde que nao ultrapasse o limite de 300mg de colesterol diario advindo da alimentacao. Ela ainda indica que o colesterol do ovo está concentrado na gema, que deve ser consumida com moderação, não mais do que 2 por semana quando houver risco cardiovascular.

Alimentos que devem ser incluídos na dieta

Além de reduzir o consumo dos alimentos mencionados acima, é fundamental a inclusão de alimentos saudáveis,  que ajudam na redução do colesterol ruim e aumento do colesterol bom.

Inclua no seu dia a dia: aveia, tomate, soja – não transgênica,  azeite de oliva, chocolate amargo, abacate, chia, frutas cítricas,  oleaginosas,  frutas vermelhas, linhaça,  suco de uva integral, quinoa,  cebola, maçã, feijão e cereais integrais.

Aposte sempre em alimentos ricos em fibras e gorduras boas,  seu coração agradece.

Mas aí alguém pode me dizer: Ju eu tenho uma alimentação regrada e saudável e mesmo assim meu colesterol está alto, isso é possível? Sim! O sedentarismo pode ser uma das hipóteses. Isso porque o exercício físico faz com que haja gasto da gordura acumulada e, consequentemente, do colesterol.

Outro fator, pode ser a hereditariedade, que é determinante em pessoas com hábitos saudáveis,  nestes casos, além de uma dieta equilibrada, do exercício físico,  pode ser necessário tratamento medicamentoso, que deve SEMPRE ser prescrito e acompanhado por um médico.

Resumindo: para manter o colesterol controlado, a saúde em dia e colaborar para a diminuicao de doencas coronarianas, como derrames e infartos, faça exames de rotina periodicamente, mantenha uma alimentação saudável e pratique exercícios físicos.

 

Este texto foi útil pra você?  Compartilhe com os seus amigos, pode ser que outras pessoas precisem ter acesso a estas informações.

 

Até a próxima pessoal!

 

 

Referências:

Atkins, P.W., Jones, L., Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio ambiente 5ª ed., Porto Alegre: Ed. Bookman, 2012.

Usberco J., Salvador E., Química Geral, 12ª.ed., São Paulo: Saraiva, 2006.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *