Frutas e Hortaliças

Hoje a Nicelle, nossa nutricionista vai falar um pouquinho sobre frutas e hortaliças, bem como a melhor maneira para consumi-las…

Os motivos para incluirmos mais frutas e vegetais em nossa dieta são muitos e significativos. O consumo é recomendado não apenas pelo conteúdo de fibras, vitaminas e minerais, mas também pela composição de substâncias que são capazes de prevenir doenças, ou seja, possuem atividade antioxidante. Os compostos responsáveis por essa propriedade são: compostos fenólicos (polifenóis, taninos, flavonoides), carotenóides (β- caroteno). A vitamina C e vitamina E se destacam juntamente com os outros compostos, como boas fontes antioxidantes para o nosso organismo.

Frutas e Hortaliças

Não é necessária uma brusca restrição nesses alimentos, seu consumo deve ser realizado e estimulado em todas as fases da vida. Todos os seus componentes auxiliam no emagrecimento, na mudança da composição corporal e em hábitos alimentares mais saudáveis.

As frutas, legumes e verduras (FLV) são ricos em fibras em suas formas naturais de consumo. A forma crua é a melhor opção. Porém, alguns devem ser consumidos após o cozimento (batatas, chuchu, inhame), sendo preferível a realização no vapor – durante poucos minutos. O cozimento abranda essas fibras para facilitar a digestão e em muitos casos alterar a matriz vegetal para que as vitaminas e minerais possam ser disponibilizados para o organismo humano durante a digestão e absorção.

Há um destaque para a cebola e alho. A cebola possui propriedades antioxidante, anti-inflamatória, antibiótica, antialérgica, previne doenças cardiovasculares e ainda pode dissolver as gorduras. Já o alho, além das propriedades citadas para a cebola, adicionalmente é anticoagulante, diurético, fortalece o sistema imunológico, previne diabetes e ainda reduz o colesterol. Esses dois alimentos são bem utilizados como temperos e para refogar preparações na cozinha brasileira. Todavia, o processo de aquecimento em óleo quente, destrói todas essas propriedades benéficas. Conclui-se que a melhor maneira de usarmos esses ingredientes é em suas formas cruas ou adicioná-los após refogar os alimentos apenas em óleo.

 

Nicelle Lopes

CRN  14100193

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *