Dicas para as Refeições

Bom dia galera!
Como vocês podem ver, essa semana estamos com um pouquinho de atraso. Estive viajando no fds e só hoje retomei a rotina.
Hoje a Nicelle Lopes, nossa nutri querida vai falar um pouquinho de dicas para as refeições, vale a pena implementá-las no nosso dia a dia.

Vamos começar?

1. Não pule refeições!
Quando deixamos de realizar algumas refeições, acabamos caindo no exagero em outras. Isso acarreta em grande produção de insulina e aumento da massa corporal de gordura.
O café da manhã não deve ser excluído do nosso dia em nenhuma hipótese. Após longo período de jejum, nosso metabolismo necessita de energia para realizar as atividades metabólicas, até mesmo para realizar a oxidação da gordura na mitocôndria celular.

2. Inicie as grandes refeições (almoço e jantar) pela salada!
As fibras auxiliam na sensação de satisfação alimentar. Quando iniciamos a nossa refeição pela salada é como se “forrássemos” o nosso estômago, diminuindo a fome e a ingestão alimentar. O benefício é tanto fisiológico (auxilia no trabalho do estômago e do intestino) e “calórico” pela diminuição da ingestão de alimentos.

DicasDeNutrição (8)

3. Mantenha uma rotina de horários!
Não é ideal realizar as refeições cada dia em um horário diferente. O organismo tende a se acostumar com os horários e as quantidades ingeridas. Essa variação não é benéfica já que ficar horas sem comer pode levar a um exagero na próxima refeição visando à compensação. Desta maneira, o organismo reserva essa energia para um provável longo período de jejum novamente.

4. Mastigue bem e devagar!
Um dos segredos para obter a satisfação após a alimentação é uma mastigação lenta. O cérebro demora até 20 minutos para reconhecer que a alimentação foi suficiente. Se comermos muito rápido, não há tempo para o nosso cérebro reconhecer que já ingerimos certa quantidade de comida e ele mandará mensagens para que possamos ingerir mais. Coma devagar e deixe o seu cérebro perceber que as necessidades alimentares já foram satisfeitas naquela refeição.

5. Se comer carboidrato…
Quando não resistimos e queremos comer produtos refinados ou alimentos com alto conteúdo de carboidratos há um truque para que a produção de insulina seja equilibrada. Um exemplo é uma macarronada. Devemos acrescentar um recheio de proteína e um pouco de gordura (queijos, um fio de azeite) para retardar a transformação desse macarrão em glicose e ser absorvida para a corrente sanguínea.

E então? Gostaram das dicas?
Que tal implementá-las no seu dia a dia?

Ah! Ficou alguma dúvida? Tem algum tema para nos sugerir? Fique a vontade para usar o espaço dos comentários!

Nicelle Lopes
CRN 14100193

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *