Doença Celíaca Refratária

A maioria dos celíacos responde bem ao único tratamento existente atualmente para a Doença Celíaca – dieta isenta de glúten e livre de contaminação cruzada.

E quando retirar o glúten não é o suficiente?

Um número muito pequeno de celíacos não respondem ao tratamento (dieta isenta de glúten e de contaminação cruzada), é o que chamamos de celíacos refratários, ou quem possuem a Doença Celíaca do Tipo Refratária.


E como se chega ao diagnóstico da doença celíaca refratária?

Bem, primeiro, é necessário descartar outras doenças que podem causar diarreia cronica, má absorção e até atrofia vilositária, como, por exeplo, a giardíase. Também é preciso descartar que o celíaco não esteja se contaminando, intencionalmente ou não.

Descartadas essas outras causas, é necessário:

✔Persistência de alterações morfológicas da mucosa intestinal (como atrofia vilositária, hiperplasia de criptas e linfocitose intraepitelial) após 6 a 12 meses de Dieta Isenta de Glúten e de contaminação cruzada.

✔Continuidade de sintomas graves com necessidade de intervenção clínica.

A Doença Celíaca Refratária por vezes exige tratamento medicamentoso, alteração de estilo de vida e acompanhamento de perto por um especialista.  O caminho a ser trilhado pelo tratamento vai depender da extensão dos danos encontrados e da natureza dos sintomas clínicos apresentados.

Os pacientes com doença celíaca refratária, que é uma condição rara, apresentam alto risco em desenvolver complicações graves, incluindo uma forma de linfoma não-Hodgkin. 

O grande X da questão está no fato de que pesquisadores concordam que a maioria dos casos de DC refratária ocorrem em pessoas com diagnóstico tardio de doença celíaca ou então, aqueles que se recusam a  seguir a dieta completamente. 

Importante: em hipótese alguma faça “autodiagnóstico”. Você não obteve melhoria com a dieta sem glúten? Procure um médico e faça acompanhamento adequado.

Fontes:

http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0871-34132013000100003#:~:text=A%20Doen%C3%A7a%20Cel%C3%ADaca%20Refrat%C3%A1ria%20(DCR,exclus%C3%A3o%20de%20outras%20causas%20de

https://www.celiac.com/articles.html/refractory-sprue-by-michelle-melin-rogovin-university-of-chicago-celiac-disease-program-r702/

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *